Postado por Adm Entre mamães

Mamães, hoje trazemos um assunto interessante para as mamães de primeira viagem, o refluxo. Para quem não conhece o refluxo ou regurgitação (conhecido também como golfada) é quando volta um pouco de leite na boca do bebê depois que ele mama. Acontece em cerca de 50% dos bebês até os 6 meses e tende a se resolver até esta idade.

Mas porque isso acontece?

Isso acontece porque a válvula entre o esôfago e o estomago ainda está se formando e pode estar frágil, deixando o leite passar. Além disso, podemos não notar que o bebê mamou bastante e está cheio. O que deve-se fazer é sempre colocá-lo na posição ereta e deixá-lo arrotar, desta forma também evitará gases.

 

Algumas dicas

– Dar de mamar com o bebê sentado

– Sempre esperar o bebê arrotar depois de Mamar

– Manter o Bebê na Vertical após a mamada por uns 15 a 20 minutos

–  Diminuir a quantidade de Leite por dia (veja certinho com seu pediatra qual a quantidade adequada para seu bebê).

– Programar a troca de fraldas antes da mamada, uma vez que movimentar o bebê com a barriga cheia aumenta o risco de refluxo.

– Na hora de dormir, deite-o inclinado, com o tronco elevado entre 30° e 45°. Existem berços que já vem co essa inclinação, ou então compre colchoes inclinados.

 

Todo cuidado é pouco

A volta do leite não é o único sinal do refluxo. Há casos em que o bebê tosse, apresenta chiado no peito e tem dificuldade para respirar. “A mãe também pode desconfiar do problema quando a criança chora demais, fica irritada, inquieta, dorme mal e recusa alimentos. Essas reações são resultado do desconforto causado pela acidez. Não é raro também que o refluxo seja confundido com cólicas”, afirma Mariana Facchini Granato, do Instituto da Criança, do Hospital das Clínicas de São Paulo. (Fonte: M de mulher)

Além disso, fique atenta a forma como o leite regurgita, se ele continuar golfando após os 6 meses de idade, apresentar irritação,  choro, falta de ar, desconfie e leve-o para seu pediatra.

O diagnóstico do refluxo pode ser apenas clínico, ou seja, baseado no exame físico do bebê e na descrição dos sintomas. Existem outros exames para investigar o refluxo, como um raio-X do sistema digestivo (o bebê precisa tomar um contraste).

Também existem outros casos indiretos como a Apneia, que é a parada rápida da respiração durante o sono, e pneumonia provocada pela aspiração do próprio refluxo. Neste caso também procure um médico.

 

Existe tratamento?

Nos casos mais graves, o pediatra pode receitar antiácidos, medicamentos anti-refluxo, produtos para engrossar um pouco o leite ou fórmulas anti-refluxo já prontas. Só use esse tipo de tratamento sob a orientação do médico.

 

Fontes: Seu Pediatra | Baby Center | Pediatra em Foco | M de Mulher | Rede maes de Minas | Tua Saude

 

One thought on “Refluxo: Como saber se meu filho tem e o que fazer?

  1. Meu filho não regurgitava, mamava normalmente. Hj com 2 anos descobrimos q ele tem refluxo oculto, através de uma videonasofibroscopia para avaliação da adenóide pq a respiração era mto difícil e tinha uma tosse insessante. Qdo ouve-se falar de refluxo, logo pensamos em regurgitação.

Deixe seu comentário