Postado por Karen

A criançada de hoje questiona muito os pais, desafiando seus limites e fazendo com que percam a paciência. E é nesta hora que agimos de forma errada na educação de nossos filhos. Não há uma fórmula de como educar, mas psicólogos afirmam que o diálogo é sempre a melhor alternativa. Confira a seguir  alguns conselhos para evitar os erros na hora de ensinar:

 

 1. O pai desautorizar a mãe na frente da criança (ou vice-versa)

brigas

Por exemplo: a criança pede para dormir na casa do amiguinho. A mãe fala não, mas o pai fala: Porque não? Pode sim. Isso faz com que a criança fique confusa, não sabendo qual é a autoridade real do pai do da mãe. Ela não entenderá qual é o limite e poderá jogar o pai contra a mãe (isso vale para os dois casos). É claro que nem sempre os pais concordarão em tudo, mas o ideal é conversar longe da criança e alinhar as informações. Assim, quando forem falar com a criança, os dois estarão com a mesma posição.

 

 2. “Faça o que digo, não faça o que eu faço”

criança e cigarro

Sabe quando falamos para a criança o que pode e o que não pode? Estamos buscando dar o exemplo para elas, mas muitas vezes o que não percebemos é que estamos fazendo exatamente o oposto do que ensinamos elas a fazer. Sabe o ditado, “Faça o que digo, não faça o que eu faço”? Pois é. Às vezes nem percebemos, mas estamos agindo de forma errada. Nós pais, somos o exemplo para eles, em tudo o que fazemos. As crianças começam a se desenvolver imitando palavras, gestos como um aceno ou enviar um beijo, e porque não imitariam uma palavra feia ou gostos por determinadas comidas? Pense nisso.

 

3. Ceder à birra da criança

criancas-desobedientes-e-agressivas

Quando a criança faz birra, chora, grita, faz “cena” para chamar a atenção dos pais, não devemos ceder e deixar que nossos filhos fiquem no comando. Assim, quando quiserem alguma coisa, sempre apelarão para o choro. O ideal é ter uma boa conversar e explicar para eles que essa choradeira não levará a lugar algum e que, se eles querem alguma coisa que não pode, devem aprender a lidar com isso de forma diferente. Devemos passar segurança e ser firmes e impor limites.

 

4. Não dar explicações

“Mãe, posso tomar sorvete antes do almoço?”

“Claro que não!”

“Mas porque?”

“Porque sim!”

20140508-dinheirama-3-maneiras-arruinar-futuro-filho

Quantas cenas destas já passaram por nossas vidas não é mesmo? Mas as regras devem ser claras. Falas apenas “não pode”, “você não vai”, “Não, pronto e acabou”, podem deixar a criança brava, sem entender o motivo. O ideal é conversar com ela e explicar porque não pode. Como no exemplo acima do sorvete: não pode comer sorvete antes do almoço porque você vai ficar de barriga cheia e não conseguirá comer a comida. Nós precisamos delas para crescer fortes. A sobremesa e muito gostosa, mas deve ser ingerida depois do almoço. O próprio nome já diz, sobre (depois) mesa (da mesa = comida). A demonstração de carinho ajuda a mostrar que você impõe regras porque quer o bem do filho.

 

5. Contar pequenas mentirinhas

mae-contando-um-segredo-para-o-seu-filho-foto-matka_wariatka-shutterstock-0000000000007557

Contar uma mentirinha para seu filho comer, guardar os brinquedos ou não pegar objetos não é a forma correta de agir. Ex. “Se você não comer, o bicho-papão vai te pegar”. As crianças observam o comportamento dos pais e, aos poucos, perceberam que são mentirosos. Os pais que mentem, tendem a criar filhos mentirosos. No futuro, quando a criança dizer que já fez o dever de casa enquanto, na verdade, jogava videogame pode parecer só mais uma mentirinha sem consequências.  Cuidado.

 

6. Fazer ameaças

blog-orientadora-resolucao-conflitos-shutterstock_169777073

É comum os pais ameaçarem a criança com a punição de tirar-lhe algo bom, caso a criança seja desobediente – ou presenteá-la ao concluir algo de bom. “Se você não comer, você vai apanhar!” ou “Se você se comportar, eu compro a boneca”.  Essas ameaças, quando não cumpridas, enfraquecem a moral dos pais. Além disso, as ameaças e chantagens não ajudam os filhos a lidarem com as situações frustrantes da vida, nem mesmo os fazem amadurecer.

 

7 . Comentar os defeitos do companheiro na frente do filho

– “Seu pai é um chato!”

– “Sua mãe é muito folgada!”

divorcio_briga

Evite fazer do seu filho, um muro de lamentações. Sejam separados ou com conflitos dentro de casa, os pais tendem a agir desta forma para ter os filhos como aliados. Mas em vez de o pequeno se sentir protegido, pode ficar inseguro, não ter um exemplo de afetividade e sofrer com a ausência de harmonia e união da família.  Portanto, pode pensar, mas não fale perto deles. Os pais (pai e mãe) são um exemplo para as crianças, não acabe com essa alegria.

 

Fonte: http://www.minhavida.com.br/familia/galerias/15058-os-sete-erros-mais-comuns-na-educacao-dos-filhos/#carousel-galeria

One thought on “JOGO DOS 7 ERROS: onde erramos na educação dos nossos filhos?

Deixe seu comentário