Postado por Karen

A blogueira Camila Bastos Pagamisse compartilhou com a gente experiências sobre o desfralde. Você também tem dúvidas nessa hora? Dá uma olhada que legal o post dela…

“Como já disse várias vezes (já devem estar cansados disso, mas não custa lembrar) cada criança tem seu jeito único e devemos respeitar suas necessidades e seu tempo para as coisas. Muitas vezes a ansiedade dos pais interferem no processo e evolução das fases da criança (falo de experiência própria, pois mesmo repetindo aqui eu acabo inevitavelmente comparando os filhos).

Bau de menino_imagem1

      Aqui o Gabriel teve um desfralde tranquilo, ele começou a ficar incomodado com a fralda e reclamava. Então investi em cuequinhas divertidas e pronto… foi rapidinho. Começou sentando no piniquinho e logo passou a fazer o xixi de pé. O cocô também foi sem neuras, ele achava um barato o barulho na água (acho que isso é coisa de meninos!).

       Já o Daniel, acredito que entrou no processo do “não vou deixar de ser bebê” e se “agarrou as fraldas”. Ele tinha o controle total do xixi aos 2 anos e meio, avisava quando ia fazer e não fazia durante à noite (salvo algumas escapadas quando tomava muito líquido antes de dormir). Aí vocês pensam, esse foi o sinal de que ele não queria mais a fralda… triste engano!

        Investi nas cuequinhas fofas e divertidas (como fiz com o irmão) e comecei a vesti-lo com elas, a questão que diferente de outras crianças que deixam escapar o xixi na roupa (e eu já estava preparada para isso…) ele segurava e não fazia.

       Levava até o pinico, no vaso sanitário com redutor de assento e nada, ele dava um “piti” e continuava segurando…sim, ele tem o incrível poder de segurar o xixi!

      Conversando com a professora decidimos dar mais um tempo à ele… e aos três foi tranquilo, explicamos uma vez em casa e começou sentando no pinico, depois passou para o assento com redutor e hoje em dia faz de pé. Na escola também foi tranquilo com o vaso sanitário infantil…. Mas a história não acaba aqui, pensou que era o “THE END”? Nananinanão!

       O xixi está solucionado, mas o desfralde se dá com o cocô também, e esse é o mais difícil por aqui. Daniel não fez como o irmão que já tratou de fazer o número 1 e o número 2, na verdade o número 2 para ele deve ser um caso mais sério…

Bau de menino_imagem2

Algumas vezes a cuequinha que ele foi para a escola volta com um pouquinho de sujeira, resultado de segurar o cocô para não fazer lá… ele não gosta de fazer o número 2 na escola, sorte dele (ou não) que tem esse controle, porque eu nunca consegui… mas também, ele volta para casa dando sinais que precisar ir urgente ao banheiro… e nem precisa me falar, eu sinto o cheirinho!

       A questão é que o figura tem nojo do cocô, e a tática que apliquei com o Gabriel de achar um barato o barulhinho no banheiro, não funciona com o Daniel. E ele insiste em fazer na fralda, tipo, “Mãe preciso da fralda, é cocô, não xixi…” (ele já vai se justificando).

      Pesquisando, encontrei alguns relatos de crianças com a mesma faixa etária dele (ou até mais) que se recusavam a fazer o cocô no banheiro, e também várias explicações para esse “bloqueio”. E seguindo aquele mantra, cada criança a seu tempo, e sem estresse, mesmo porque, “segurar” o cocô por muito tempo é tão perigoso quanto “segurar” o xixi por muito tempo. Além disso pode desenvolver aquele temido “intestino preso”… clique aqui para a explicação de uma especialista para a Bebê.com.

      Sei que ele sabe o momento de fazer, pois avisa e consegue segurar, isso significa que tem o controle, mas ainda não está preparado para fazer como “gente grande”.

     Então, por aqui o desfralde está vamos dizer “pela metade”. Mas vamos continuar assim, com paciência e muitos lencinhos umedecidos…”

 

Blog Baú de Menino – por Camila Bastos Pagamisse

Deixe seu comentário