Postado por Karen

O assunto é muito sério. Mamães, tomem cuidado com este bichinho tão ingrato. Algumas cidades já declararam alerta. O Brasil tem 157 cidades em risco de dengue e 525 em alerta, segundo o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.

A Dengue é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, desde que o animal já tenha picado uma pessoa infectada. A picada é feita pela fêmea e é realizada durante o dia, entre os horários das 7h30 às 10h e 15h às 19h.

 

Conheça os sintomas:

Clássica:

– Febre súbita e alta (acima de 40°C)

– Dor atrás dos olhos (piora com o movimento ocular)

– Falta de apetite e paladar

– Dor nos ossos e nas articulações

– Fortes dores de cabeça

– Machas vermelhas na pele (parecidas com sarampo)

– Moleza e cansaço

 

Hemorrágica:

– Dificuldade de respiração

– Confusão mental, agitação e insônia

– Sangramento na boca, nas gengivas e no nariz

– Vômitos intensos

– Boca seca e muita sede

– Pulso fraco

– Fortes dores abdominais contínuas (não como cólicas)

– Pele pálida, fria e úmida.

 

Tratamento:

– Aos primeiros sintomas, procurar um atendimento médico imediatamente

– Tratar sintomas até que o ciclo do vírus se conclua

– Beber muita água

– Repousar

– Usar a medicação indicada pelo médico

– Proibido usar qualquer remédio a base de ácido acetilsalicílico

 

Como evitar a Dengue?

Combater os focos com água parada é fundamental!!!

• Mantenha os lixos bem fechados;

• Garrafas, copos, latas, potes, etc devem ser bem tampados ou colocados de cabeça para baixo;

• Manter a caixa d’água bem fechada. Proteger o ladrão de caixas externas com tecido, tela de mosquiteiro ou meia de nylon;

• Fure os vasos de plantas para não acumular água;

• Remova a água de calhas e lajes, limpando qualquer resíduo que possa impedir o fluxo da água;

• Vasos de plantas aquáticas devem ser substituídos por terra;

• Vaso sanitário que não for utilizado com frequência, manter tampado;

• Bebedouro de animais devem ser lavados semanalmente com escova e sabão;

• Pneus devem ser guardados em locais cobertos;

• A bandeja da geladeira contém água parada. Retire, escove e seque. Antes de retornar, coloque uma média de 1/4 de copo de detergente;

• Piscinas devem receber o tratamento adequado, incluindo cloro granulado. Em período sem uso: reduzir ao máximo possível o volume de água e colocar sabão em pó;

• Aquários devem ser tampados, telados ou com peixes que se alimentes de larvas (beta, guaru, etc).

 

Algumas dicas para ajudar a proteger seu bebê:

– Colocar roupas claras no bebê;

– Deixá-lo com calça comprida e blusa de manga comprida para reduzir a exposição da pele;

– Tentar manter a criança em áreas mais frescas ou com ar condicionado, já que o mosquito não sobrevive em temperaturas baixas;

– Usar repelentes, mosquiteiros e telas nas janelas. Os médicos recomendam que a aplicação de repelentes na pele de bebês seja feita só após os 6 meses.

 

IMPORTANTE:

O uso de repelentes tópicos para a proteção individual exige atenção. “A primeira coisa que os pais devem considerar é que o produto deve ter uma composição específica para crianças e ser hipoalérgico”, avisa a alergista Alessandra Miramonte. Porém, antes de besuntar seu filho com um creme, é preciso testar o produto num pequeno trecho da pele. Se nada acontecer, espalhe uma quantidade generosa e de forma homogênea, sempre nas áreas expostas da criança e nunca sob a roupa, evitando, claro, o contato com as mucosas (olhos e boca).

Fonte: bebe.com.br

Deixe seu comentário